FANDOM


NOTA OOC: Ouvindo isso fica bem legal> https://www.youtube.com/watch?v=J4JnSqo_uek

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

"Kyanna! Você ficou louca?!" Berrava Mysha, subindo as escadas que levavam a capitã. Kyanna estava apenas fitando o horizonte, com seu olhar desafiador de uma "leoa". "Apaguem as luzes e recolham a vela. Precisamos parecer mortos." Ela caminhou até Mysha, deslizando a mão pelos barris de pólvora e carvão no caminho, ao chegar na Barda, deslizou o dedo em sua face, sujando-a.  " Faça o que eu disse."

Aos poucos, as luzes que iluminavam o Fúria iam se apagando. A vela logo estava baixada e a âncora havia sido jogada no mar. Kyanna, Henry, Mysha e mais alguns marujos subiram em alguns botes e foram até a praia, escondendo-se no meio da mata negra. Kyanna caminava com passos firmes e apressados, como se estivesse ansiosa para encontrar o Capitão e pisar nele com gosto. Henry tentava se aproximar de Mysha e conversar ou apenas tocá-la, mas ela sempre o repreendia com um olhar frio. ALi, naquela ilha maldita, seus olhos eram tão azuis que davam medo. Nunca mudavam de cor.

Após horas andando, ou Henry pensou que fossem horas, decidiram levantar acampamento em um local perto de um rio negro. Foi trabalhoso tirar todos os restos mortais de marujos e juntar itens para fazer um acampamento descente, já que Kyanna não autorizou uma fogueira. Escalaram duas pessoas para patrulha noturna, Henry e Mysha acabaram ficando juntos. Ela não o olhava muito, nem conversavam. Ambos estavam sentado em um galho de árvore, fitando a floresta. Não havia nenhum som noturno e isso causava medo em Henry. Ele pigarreou baixinho, chamando atenção de Mysha e, coçando a cabeça, murmurou: "O que você sabe sobre...A Kyanna?" Mysha virou o rosto na direção dele, até suas belas feições causavam medo ali, no meio da penumbra. "Não muito. Ela era uma oficial naval da Aliança. "A Honra do Leão" era o navio dela a serviço da Aliança. Dizem que em uma das viagens ela desertou. Voltou a praia sozinha, navegando em um bote.Não falou nada sobre o que aconteceu no mar, mas dizem que ela matou a própria tripulação para não contarem que ela desertou. Ela é caçada por todos os cantos.." Mysha colocou o cabelo atrás da orelha e olhou para baixo, onde estava a tenda na qual Kyanna dormia. "A tripulação do Fúria a segue por respeito. Dizem que é a melhor capitã que existe." 

"É por isso que você a escolheu, não é?" Perguntou Henry, deslizando um pouco no galho para chegar até Mysha. " Ela é minha amiga. É a única que conheço que aceitaria uma viagem atrás desse maldito navio. Só não pensei que ela levaria a sério nos trazendo até a Ilha dos Mortos." Mysha suspirou, baixando a cabeça e continuando: "A teimosia e audácia dela são semelhantes as da minha irmã...Elas são tão parecidas." Henry mexeu-se, um tanto incomodado. Ele nunca viu Mysha mencionar a irmã mas sabia que as duas não se davam bem e que, recentemente, ela pagou pelos crimes com a vida. "Bom... Estamos aqui... Fazer o que né? Agora o jeito é achar o capitão e..." 

"Não é tão fácil assim, Henry... Mesmo que o encontremos... O que iria fazer? Negociar com ele?Ele vai nos atacar sem piedade." Mysha mordeu o lábio inferior e pressionou os punhos, parecia conter raiva, ou até mesmo medo. "Eu-..." Henry começou a falar, mas logo foi interrompido por um dos marujos chamando Mysha logo abaixo do galho. A Barda pulou do galho e caiu em pé, logo a frente dele. Depois de um conversa rápida, ela acenou para Henry e correu para uma das tentas, enquanto o marujo se escorava na árvore e fitava a escuridão a sua frente. Os dois ficaram lá, fitando o nada até outro marujo aparecer e assumir o lugar de Henry. Ele foi para a tenda que dividia com outro, no canto Mysha dormia serenamente. Henry deitou-se na "cama" provisória que montaram para ele e fitou a barda até adormecer. Mesmo em seus sonhos, o capitão o atormentava.

Quando amanheceu, desmontaram o acampamento e se desfizeram de todos os indícios de que estiveram ali. Kyanna e Mysha ìam a frente do grupo, conversando baixo entre sí. A barda olhava para trás algumas vezes e dava sorrisinhos amistosos para Henry, mas rapidamente voltava a sua expressão séria e à conversa com a capitã. Não era possível saber se era dia ou noite, ou até mesmo quanto tempo se passou, mas Henry tinha a sensação que haviam andado por horas até chegarem ao outro lado da floresta, onde puderam ver...Lá estava ele, o navio.

"Vamos subir a bordo do navio sem chamar atenção."  Sussurrou Kyanna, apontando para as correntes da âncora do navio. Eles caminharam tão silenciosamente que era possível ouvir o coração batendo. Um por um, se penduraram na corrente e escalaram. A cada barulho, por menor que fosse, o grupo gelava e fitava o nada, esperando a morte que não chegava. Quando finalmente chegaram ao topo da corrente, não viram ninguém no convés, o que parecia estranho. "Devem ter ido para a floresta." Sussurrou Mysha, mas assim que terminou de falar, viram que ela estava errada. A tripulação morta saía de todos os cantos, com armas em mãos, prontos para atacar. 

"EMBOSCADA!" Berrou Kyanna, puxando as pistolas do cinto e atirando no mortos que estivessem perto. Algumas balas de chumbo passavam por dois ou três mortos antes de se perderem. Os outros logo retiraram suas armas e atacaram os mortos com ferocidade. Algums marujos tirando, outros com espadas tentando a sorte contra os mortos. Mysha tocando sua flauta e congelando alguns mortos para que Henry os finalizasse. A luta se seguiu por muito tempo, mas quantos mais morriam, mais apareciam para substituir o caído. Henry virou-se para trás, descendo a espada rapidamente, mas seu golpe foi aparado por uma espada fina e familiar. Ele ergue o rosto e fitou o morto.

O tempo pareceu parar a sua volta. O morto tinha olhos negros, sua pele era extremamente branca e seus cabelos estavam brancos, suas roupas eram azuis com entalhes brancos e dourados, com um grande leão bordado, como de Kyanna, mas sua roupa estava toda rasgada.Não era assim que ele se lembrava... O morto o fitou, inclinando a cabeça para o lado. Henry ameaçou recuar a espada e, tremendo, falou: "Pai..." Mysha virou-se ao ouvir isso e deixou a flauta cair. Sua boca estava aberta e sua expressão era de terror. "Não..." Foi tudo que ela murmurou, pois o morto atacou assim que ela falou. Deferiu um golpe e lançou Henry ao chão. Ele caminhou até Mysha e a agarrou pelo pescoço. A barda começou a ficar pálida e engasgar em busca de ar, o "pai" de Henry apertava seu pescoço com força, tentando matá-la. "So...So...Soco...Socorro..." Implorou Mysha, engasgando-se com o ar. Henry levantou-se com a espada em mãos e caminhou até o morto. Mas não conseguia atacá-lo, aquele era seu pai. Os olhos de Mysha viraram nas órbitas e ela soltou o braço do morto, desacordada. Henry urrou de ódio e investiu contra a dupla, enfiando sua espada nas costas do cadáver e a fazendo atravessar. 

Aquele que um dia fora seu pai, soltou Mysha. A barda caiu no convés do navio, ela não se movia. Henry olhou para o morto, que agora virava-se para ele. Ele tentou caminhar mas caiu de joelhos, segurando a espada no peito."Livre...Enfim..." Falou antes de desfazer-se em pó e ser levado pelo vento. Henry segurou a vontade de chorar e correu até Mysha, a respiração dela era quase inexistente. "Ah...O amor... Foi o amor que causou tudo isso, criança." Falou uma voz familiar atrás dele. Henry pegou a espada na cintura de Mysha e virou-se levantando. Ficando cara-a-cara com o capitão. "Aquela maldita bruxa..." Falava ele, repetidas vezes enquanto dava passos na direção do jovem, com a espada em mãos.

Henry não esperou, investiu contra ele e golpeou ferozmente, tentando acertá-lo a qualquer custo. Mas seu oponente era esperto, esquivava de todos os ataques com uma grande agilidade e graça, golpeando o jovem a cada esquiva. Poucos golpes acertavam Henry, deixando-o com pequenos golpes. Ele enganou o capitão, fazendo um movimento que iria atacar sua cabeça e o capitão tentou defender-se, mas no ultimo minuto ele baixou a espada e enfiou no peito do capitão. Seu oponente cambaleou para trás, parecendo não acreditar naquilo. "Se vou para o Inferno...VOCÊ VAI COMIGO!" Berrou o capitão. Ele deferiu um golpe, cortando o torso de Henry inteiro antes de se desfazer. O jovem caiu para trás, sua visão escurecendo aos poucos enquanto ouvia os gritos de Kyanna.

Quando acordou, estava a bordo do Fúria. Ele levantou-se com dificuldade, olhando para as faixas que cobriam todo o seu torso. Cambaleante devido a tontura e o balançar do navio, ele caminhou até o convés, ameaçando cair algumas vezes. Assim que chegou ao seu destino, ele viu Mysha sentada em um barril, remendando a flauta que estava partida em vários pedaços. Ela sorriu ao vê-lo. "Alguém pisou nela du-..." Ele não esperou que ela terminasse de falar. Correu na direção da Barda e agarrou pela cintura, puxando-a para si e a beijando. Quando ele a soltou, Mysha sorria como uma criança boba. "Mysha... Case-se comigo." Sussurrou Henry ao ouvido da barda. Ela sorriu e sussurrou um "sim" rouco.

Henry olhou para trás. Na mureta, em pé e segurando uma das cordas, estava a Leoa, ela fitava a ilha que desaparecia aos poucos enquanto navegavam para longe."Kyanna...Case a gente." Kyanna pulou da mureta e olhou para trás, com um sorriso triunfante no rosto. O vento jogava a cabeleira loira para o lado, cobrindo boa parte de seu rosto severo, porém belo. "Pensei que nunca pediriam..."

FIM...

...Ou não.

Ad blocker interference detected!


Wikia is a free-to-use site that makes money from advertising. We have a modified experience for viewers using ad blockers

Wikia is not accessible if you’ve made further modifications. Remove the custom ad blocker rule(s) and the page will load as expected.